Os especialistas recomendam estender a vacina do papiloma humano dos homens

A vacina do papiloma humano em homens evita o desenvolvimento de carcinomas e pressupõe o reforço da vacina feminina. Por isso se coloca. Esta é uma das conclusões centrais das Jornadas nacionais de Atualização em Ginecologia e Obstetrícia

XI Jornadas nacionais de Atualização em Ginecologia e Obstetrícia/Foto cedida pela Comunicação Unilabs

Artigos relacionados

Segunda-feira 10.09.2018

Segunda-feira 10.09.2018

Sexta-feira 07.09.2018

A XI edição das Jornadas nacionais sobre atualizações em Ginecologia e Obstetrícia, organizadas pelo Gabinete Médico Velázquez, Unilabs, reuniu-se em Madrid este fim-de-semana, mais de 500 profissionais, tanto nacionais como internacionais. O objectivo? Pôr em comum os últimos avanços em todos aqueles campos científicos que afetam a saúde da mulher.

Um dos pontos que mais se destacaram foi a recomendação feita pelos especialistas de estender a vacinação do Vírus do Papiloma Humano (HPV) à população masculina.

Com a imunização masculina, complementar o efeito protetor que oferece às mulheres. Atualmente encontra-se em tendência ascendente câncer vulvar e vaginal, que são carcinomas que estão associados em 90% a esta infecção.

É verdade que a proporção de desenvolver este vírus é de 2 para 1 de mulheres contra homens, mas se há esta sugestão, por várias razões. Em primeiro lugar, porque não costuma ser diagnosticado precocemente. Além disso, não apresenta sintomas e tem um percentual elevado de se tornar um carcinoma. De fato, 50% do câncer de pênis está associado a esta patologia.

O avanço realizado durante o último ano para o diagnóstico desta doença tem sido o de um novo protocolo, que foi iniciativa da Sociedade Europeia de Reprodução Humana e Embriologia (ESHRE).

“É um novo sistema que unifica nomenclaturas com o objetivo de que todos os especialistas que participamos no diagnóstico desta patologia falemos a mesma linguagem, que é essencial para um bom diagnóstico”, afirma Carmina Vermelho, ginecologista do Gabinete Médico Velázquez.

Preservação da fertilidade

O diretor médico do laboratório de Unilabs Reprodução Humana, expôs os últimos avanços relacionados com a preservação da fertilidade. E é que os últimos resultados em reprodução assistida, demonstram que o tratamento de inseminação artificial realizada com óvulos criopreservados tem o mesmo grau de eficiência que o tratamento convencional.

No campo da preocupação com a fertilidade e com o objetivo posto em buscar uma melhor qualidade de vida para as mulheres que apresentam miomas uterinos, os especialistas apresentaram os resultados que estavam obtendo com os tratamentos baseados em acetato ulipristral. Com esta terapia se conseguiu reduzir substancialmente o sangramento, além de uma redução entre 40 e 50% do volume dos miomas.

Genética e nutrição, em oncoginecología

Em oncologia também centraram-se, pois, o câncer de ovário é um dos tipos de câncer femininos com mais dificuldade de detecção e mais agressividade, mas não é o mais frequente.

O efeito protetor da dieta nas diferentes patologias tem sido o centro de atenção nas jornadas, com especial incidência na hora de tratar a osteoporose. Os especialistas têm alertado sobre as consequências que o sistema ósseo está tendo a preocupação das mulheres com o seu peso corporal do que as leva a restringir o consumo de alimentos ricos em vitamina D e cálcio.

“Sabíamos que a vitamina D afeta o sistema ósseo, mas agora sabemos, também, que tem um efeito protetor sobre o sistema imunitário e propriedades anti-tumorais”, comenta a doutora Silvia P. Gonzalez.

(Não Ratings Yet)
Loading…

Leave a Reply